terça-feira, 26 de março de 2013

Estorias de Minuto - 4

Reintegração de Posse
por Roberto Miranda

Foi um dia sombrio para a humanidade.
Vinda do espaço profundo, a gigantesca nave-mãe retornava ao seu mundo de origem: a Terra. Sua tripulação de descendentes da civilização mais antiga desta galáxia, a qual chamavam de Torah, revelou coisas sobre nós, quando muitos já desconfiavam.
O encontro marcado em reunião da ONU foi transmitido por satélite para o mundo e convenientemente com discurso de abertura do Presidente em exercício da única superpotência do planeta. A fala mansa e desgastada anunciou com apreensão a presença do líder alienígena antes de este tomar o seu lugar no palanque. Ele proferiu sua mensagem em um dialeto ruidoso e agressivo, porém, a nave-mãe o retransmitiu em todos os idiomas para a população estarrecida em frente aos televisores de suas casas, nos bares e lojas comerciais, e incrédulos escutaram da sinistra criatura a historia por trás do nascimento da humanidade.
Controversas discussões religiosas à parte, somente a comunidade cientifica foi ouvida pelos lideres do mundo, principalmente aqueles que consideravam a hipótese há algum tempo.
Há milhares de anos, a civilização que habitava o planeta teve de ser mobilizada para conter um conflito galático, envolvendo forças hostis espalhadas pelo universo, e deixaram serviçais concebidos geneticamente para salvaguardar o ecossistema planetário, estabelecendo contato à longa distancia com controladores enquanto estivessem em campanha.
Um evento catastrófico estava quase a dizimar os serviçais quando os controladores tomaram uma atitude imprevisível diante da perda de contato, enviando ordens para os servos restantes assimilarem métodos de autopreservação da fauna em redor.
Por seculos, o tumulto no pequeno planeta fora deixado de lado, até o conflito terminar e planejarem o retorno da nave-mãe.
Mas, nos últimos momentos da longa jornada de volta, tomaram conhecimento do que havia acontecido através da recepção de ondas de rádio ricocheteando na alta atmosfera e a detecção de objetos navegando pelo sistema solar, em especial, dois satélites na borda de sua fronteira.
Apesar de terem achado incrível, uma coisa era certa, a sociedade humanoide apagou de seus genes os códigos para os quais foram habilitados. E na ausência de seus mestres ousaram não preservar a mata nativa e o reino animal, cuja ordem final inapropriadamente transformou os instintos de autopreservação adquiridos simbioticamente, disseminando a paranoia de que era preciso conquistar o planeta, exaurindo suas fontes minerais e devastando recursos naturais.
Por essa razão, os verdadeiros donos da Terra tomaram a decisão arbitraria de retomar a posse do planeta anunciando o inicio do processo de descontaminação.
No fim, a Terra ficaria a salvo do seu mais intolerante predador: o homem.

Estorias de Minuto são produzidas em  em tempo real durante o intervalo de postagem cujo tema pode ser extraído de alguma matéria atual ou de assunto pertinente à ficção científica.

sábado, 23 de março de 2013

Estorias de Minuto - 3

Um dia longe de casa
Por Roberto Miranda.

A primeira expedição aos objetos extrassolares aportou em Plutão com uma estação completa.
Os doze tripulantes passaram a exercer suas atividades confortavelmente acomodados nos módulos laboratoriais aonde dispunham de equipamentos de alta performance para compartilhar informações com o centro de comando na Terra enquanto exploravam o gélido mundo. A luminosidade de dia ali dependia do quanto a orbita ia aproximando-o do Sol, depois disso seria sempre noite eterna.
A princípio os astronautas efetuaram perfurações no solo rochoso e colheram amostras em barras cilíndricas para pesquisar o passado geológico do astro, considerado anteriormente um planeta.
Para não perderem o sentido de tempo de um dia terrestre a missão estabeleceu a jornada de trabalho com base nas 24 horas da Terra. O controle feito por computador não os deixaria desorientados ou perderem horas de sono.
Um dia longo naquelas condições devia parecer para os astronautas um pouco menos estressante do que a maratona de serviços prestados numa cidadezinha da Terra.

Estorias de Minuto - 2

A Flor de Marte

No inóspito planeta vermelho o veículo explorador autômato analisa o solo de um jardim petrificado, com flores de pétalas largas, na sombra da vala e conclui que outrora um rio de água doce correra por ali. E se Marte já foi um dia como a Terra, somente um cataclismo sideral haveria de desequilibrar o meio ambiente.
Após novas analises, resíduos microscópicos indicaram ter ocorrido uma forte concentração de radiação que esterilizou o solo em questão de dias. Talvez tenha sido um pulso de raios gama expelido do coração de um buraco negro em outra galáxia, do qual, mais cedo ou mais tarde, o planeta Terra ficará na sua mira.

Estorias de Minuto - 1

O Borrão no Sol
por Roberto Miranda.

Era um final de semana de verão.
A praia lotada e esplendidas mulheres bonitas remexendo o corpo na batida das ondas. Eu, como sempre, fiquei tomando minha cervejinha debaixo do guarda-sol e olhando as musas de óculos escuros. Em um fone auricular dependurado no ouvido esquerdo escutava musica de uma radio local quando minutos depois o som cessou de repente.
Tentei inutilmente outra estação, mas só captava chiado no ar. Imediatamente notei as pessoas em redor com o mesmo problema, uns até enterraram os tocadores na areia após se arrependerem de o ter adquirido no Paraguai.
Eu continuei na minha.
Cinco minutos mais tarde alguns banhistas sombrearam os olhos para avistar algo no céu. Eu segui o olhar e vi alguma coisa tapando o brilho do sol, mas não era a lua.
Um enorme objeto errante entrara no sistema solar a mil e estacionou na frente da coroa solar, escurecendo o céu enquanto obliterava o respaldo de luz agonizante da coroa, até por fim o sol morrer.